Bom, acho que todos que acompanham o Blog sabem que por pouco não assisti a MDNA TOUR em sua passagem pelo Brasil. Até escrevi um pequeno post sobre isso, como forma de desabafar mesmo, pois muitas pessoas poderiam não entender e achar que eu estava triste por "apenas" perder um show. Enfim, na última hora, tudo se resolveu e consegui ir. Foi uma viagem cansativa ( praticamente um bate-volta) mas que valeu muito a pena. Como muita gente me pediu para contar minha experiência, mesmo antes de acontecer esse vai-não-vai, resolvi contar como foi a minha experiência.

Cheguei em São Paulo na tarde do dia 4 de Dezembro, dia do show que eu iria assistir. Eram 14.30h quando uma amiga foi me pegar na estação do metrô e as 16h já estávamos a caminho do Morumbi. Fomos eu e mais dez amigas. Já tinha mais cinco amigos nossos lá no estádio. Para a grande maioria ali, era a primeira vez que veriam um show de Madonna, para mim já era a segunda. Eu pensava o tempo todo em como eu estava feliz em ter contornado todos os obstáculos e ter viajado para ver o show. Vocês não sabem como foi uma verdadeira "batalha". Todos que estavam comigo repetiam a mesma frase: "Nada a ver você não vir para esse show". E era mesmo para eu ter ido: Consegui ver a passagem de som da Madonna!!! Gente, fiquei muito emocionado e tipo, nem conseguia pensar direito!



Depois de algumas horas esperando o show e pior, depois do show chato e frio do DJ Gui Boratto - que para mim perdeu a chance da vida dele - o estádio se apagou para receber a MDNA TOUR em toda sua plenitude. Quando os primeiros acordes sonoros do show começaram, se passava um filme em minha cabeça sobre como realmente eu seria estúpido de não ir ao show. Esse mesmo filme praticamente se repetiu a cada música apresentada no concerto. Vou começar a destacar os pontos mais fortes do show em minha opinião:



 - A abertura é linda! Sem dúvida uma das aberturas mais bonitas e impactantes de shows da Madonna. De arrepiar
- GIRL GONE WILD : O primeiro número musical já chega "chegando". Eu arrisco até dizer que esse número traz muitas referências a muito do que Madonna fez em sua carreira, se é que vocês me entendem. Se eu já tinha amado vendo videos amadores, imagine ao vivo.
- GANG BANG não só é uma das minhas músicas favoritas do novo Cd como é também um dos melhores momentos do show. É um grande filme violento feito ao vivo. Os efeitos sonoros são tão reais que muita gente procrava Helicópteros no céu. Incrível. Espetacular Inesquecível.
- EXPRESS YOURSELF: Ok, tem a piada da Gaga no meio, mas cara, é muito bom. Todo o número muito bem amarrado! Os telões casam com a música que ao meu ver, entrou no show só para provar que BORN THIS WAY foi realmente feita em cima de EXPRESS YOURSELF. Adorei as projeções, o figurino, a coreografia...
- GIVE ME ALL YOUR LUVIN´: Falando em coreografia, Madonna, assim você mata a gente! Apesar de ser praticamente meia música, a performance é incível! A banda descendo do teto é uma das coisas que mais vai ser lembrada pra quem foi ao show. E eu que estava com medo desse arranjo não dar certo no show.
- OPEN YOUR HEART: Linda performance, emocionante. Mas quem rouba a cena aqui é Rocco. Que graça esse menino dançando gente!
- Todo o bloco MASCULINE/FEMININE é ótimo. Eu achei que não ia gostar desse bloco porque as músicas estavam meio batidas, mas no final, eu amei. Principalmente CANDY SHOP/EROTICA.
- LIKE A PRAYER sempre será lindo, marcante e emocionante. Não tem jeito...
- CELEBRATION: Para quem duvidava que daria um bom encerramento, MDNA TOUR está ai para provar. A música fez com que o show terminasse pra cima, com vontade de mais e mais. Perfeito!

Agora as piores partes:

 
- Não teve Tourbook pra vender! Para mim que sou colecionador, foi uma frustração. Mas ao menos, comprei uma camiseta linda! Hahaha
- Gui Boratto mais esfriou do que aqueceu. Olha, até achava o trabalho dele bom, mas nesse show ele vacilou. Resolveu investir em seu habitual Intrumental Lounge Progressivo e deixou o morumbi com cara de um grande elevador.
- Não teve LIKE A VIRGIN e nem LOVE SPENT. Mas eu soube que foi porque Madonna não queria pagar uma multa por atraso. Custava começar mais cedo tia?
- HUNG UP mais uma vez foi destruida. Uma música dessa desperdiçada? O que salvou foi o número em si.
- PAPA DON´T PREACH poderia ter sido inteira né?



Bom, no fim, a MDNA TOUR é mesmo uma grande síntese do que Madonna já fez em toda sua carreira. É uma grande assinatura dela em um tratado, mostrando que ela é mesmo a rainha. Embora traga referências de coisas que ela já fez antes, tem o toque de inovação que sempre Madonna traz aos seus concertos. E sem sombra de dúvida, supera a sua turnê anterior STICKY & SWEET. Talvez a MDNA TOUR não seja tão "divertida" como outras turnês mais antigas, mas acredito que ela não foi concebida para ser desse jeito. Ela foi concebida sob a mais pura ótica da arte e da expressão arttística e por isso mesmo, acabará se tornando uma das melhores turnês de Madonna e de qualquer outro artista pop no mundo. Não é a toa que a gente sai do show, sem fôlego, sem saber o que pensar...sem que a ficha tenha caído.



Eu preciso muito agradecer a todos que torceram para que eu pudesse ir a esse show. Todos os que perderam algum tempo de seu dia para me darem palavras de apoio. Talvez, se não houvesse essa energia, eu nem estaria aqui contando essa experiência pra vocês. Muito obrigado mesmo!

E um obrigado especial a quatro pessoas que estavam comigo direto durante minha rápida estadia em Sampa. Minhas amigas Melina, Lisandra, Aninha e Dayse. As quatro lindas da segunda foto do post. Amo vocês meninas!

Abração e até breve!